História da infância na idade média

Hoje em dia as crianças brincam, estudam, leem e se divertem. Mas antigamente, a vida de uma criança não era nada fácil.

Idade Média 8Constantemente a infância é lembrada como uma das fases mais felizes da vida, onde a inocência e os sonhos proliferam. É uma fase de proteção e cuidados, onde a criança precisa ser incentivada e tratada com carinho. Mas nem sempre foi fácil ser criança. Como muitas coisas, o conceito de infância foi muitas vezes moldado de diferentes formas ao longo da história. A idade média, em especial, tinha uma forma totalmente própria de conceber a infância.

Como era tratada a infância na idade média

Idade Média 11

                       

Ser criança na idade média não implicava nenhum privilégio. Ao contrário, era uma posição de extrema desvantagem. Sendo a idade média uma época muitas vezes lembrada por sua barbárie, é natural que as condições sociais dentro de uma comunidade estivessem ligadas aos domínios da força, e sendo as crianças fisicamente inferiores aos adultos, estavam sempre em posições de serem sobrepujados pelos mais velhos, que na época representavam os pais, bem como todos os parentes mais velhos, dos tios aos irmãos, primos, etc.

Da mesma maneira, esperava-se da criança o mesmo que esperava-se do adulto. Obrigações afazeres eram estipulados pelos pais, e essas obrigações deveriam ser cumpridas dentro do tempo em questão, caso contrário isso implicaria em sérios castigos. Era comum, deste modo, crianças desempenharem tarefas como cortar lenha, ou transportar grandes baldes de água por longas distâncias, ou, no caso das meninas, ficarem desde muito cedo (a partir dos 07 anos) responsáveis por administrarem a casa e cuidarem dos irmãos.

Conceito de infância na idade média

Idade Média 10

A criança, na idade média, era tida como um “pequeno adulto”, literalmente, estando submetida às mesmas leis e expectativas que o adulto. Logo, eram iniciados em conversas que muitas vezes não compreendiam, mas esperava-se que desempenhassem ao menos um papel de representação, como parte da comunidade ou da família. O período conhecido como infância era mais curto, não raramente terminava com o casamento, já aos 12 anos, ou com a morte do pai (ou pais), onde as crianças precisavam assumir o posto de chefes da casa, uma vez que órfãos não possuíam direitos de qualquer espécie.

História da infância após idade média

Iluminism

Foi com o Iluminismo, período pós Renascença, que o conceito de criança como conhecemos hoje começou a ser forjado. Até este momento, todavia, se passaram mais de mil anos em que infância e vida adulta eram separadas apenas pela aptidão física. Com a nova corrente de pensamento, as crianças se tornaram de inteira responsabilidade dos pais, dividindo com isso a vida adulta da infantil. Passou-se a entender que tanto física quanto mentalmente, as duas faixa etárias tinham necessidades diferentes, sendo que na infância essas necessidades são maiores, uma vez que a fragilidade do individuo é maior.

Os primeiros estudos pedagógicos no sentido de conservar a infância e prover um crescimento saudável datam dessa época. Foi também o período onde se concretizou o conceito de escola, pois havia-se idealizado, finalmente, que a infância é um período de formação e que precisa ser suprida com bagagem intelectual. Foi somente então, que pode-se dizer, que crianças tornaram-se crianças.

Quer saber mais sobre a história da infância na idade média? Assista ao vídeo do Youtube que separamos para você:

A Criança na Idade Média

Saiba mais sobre a infância

Nenhum voto, seja o primeiro

Andre Moreira
14/10/13


Mais informações por email.

Deixe uma resposta

Para comentar você precisa realizar seu login com o Facebook